Estude com quem mais aprova. escolha um plano e faça parte dos milhares de alunos que são aprovados todos os anos com o Proenem
Pesquisar

Estude para o Enem totalmente grátis

RELAÇÕES INTRAESPECÍFICAS

RELAÇÕES INTRAESPECÍFICAS

Nas comunidades bióticas, encontram-se várias formas de interações entre os seres vivos que as formam. Essas interações se diferenciam pelos tipos de dependência que os organismos vivos mantêm entre si. Algumas dessas interações se caracterizam pelo benefício mútuo de ambos os seres vivos, ou de apenas um deles, sem o prejuízo do outro. Essas relações são denominadas harmônicas ou positivas.

Outras formas de interações são caracterizadas pelo prejuízo de um de seus participantes em benefício do outro. Esses tipos de relações recebem o nome de desarmônicas ou negativas.

Tanto as relações harmônicas como as desarmônicas podem ocorrer entre indivíduos da mesma espécie e indivíduos de espécies diferentes. Quando as interações ocorrem entre organismos da mesma espécie, são denominadas relações intraespecíficas ou homotípicas. Quando as relações acontecem entre organismos de espécies diferentes, recebem o nome de interespecíficas ou heterotípicas.

Abaixo, temos uma figura como resumo das relações ecológicas relações Ecológicas

RELAÇÕES DESARMÔNICAS INTRAESPECÍFICAS

CANIBALISMO

A necessidade de energia às vezes faz com que organismos da mesma espécie interajam entre si de forma negativa utilizando um ao outro como alimento. Neste caso, obviamente, o animal canibal obtém vantagem sobre o outro.

O canibalismo é comum entre louva-a-deus (ordem Mantodea), onde a fêmea se alimenta do macho após o ato sexual. Esta relação não ocorre sempre, mas aparentemente abrange cerca de 30% dos cruzamentos. O objetivo da fêmea, quando mata o macho, é obter nutrientes que a ajudarão na postura de ovos. Fêmeas que se alimentam de seus parceiros colocam, em média, mais que o dobro de ovos que aquelas que não praticam o canibalismo.

As aranhas viúva-negra (Latrodectus mactans), apesar da fama, não praticam um canibalismo de fato, uma vez que a fêmea não mata o macho para se alimentar. O que ocorre, na verdade, é que o macho rompe parte de seu aparelho reprodutor após introduzir os espermatozoides no corpo da fêmea. Isto o faz perder hemolinfa e morrer. Não é uma ocorrência obrigatória, mas às vezes acontece. A fêmea, então, se alimenta do macho para repor a energia consumida durante o ato reprodutivo.

COMPETIÇÃO INTRAESPECÍFICA

A competição é um fenômeno que se estabelece sempre que dois organismos apresentam nichos similares e, desta forma, demandam o mesmo recurso. Por este motivo há competições que ocorrem entre organismos da mesma espécie (intraespecíficas) e entre organismos de espécies diferentes (interespecíficas). Por enquanto estudaremos o primeiro caso, onde o recurso disputado pode ser, por exemplo, alimento, espaço, luz, água, parceiros reprodutivos, etc.

Em uma competição intraespecífica, dois organismos da mesma espécie são prejudicados por competirem. Este prejuízo individual resultante do gasto energético e, potencialmente, de ferimentos, pode ser entendido como uma vantagem evolutiva para a população, uma vez que somente os organismos melhor adaptados sobreviverão.

Exemplos típicos de competição intraespecífica ocorrem entre leões que tentam dominar um bando, entre plantas que tentam alcançar maiores alturas para alcançar a luz, entre pavões que cortejam uma fêmea, etc. Em todos estes casos, o organismo melhor adaptado será selecionado positivamente em detrimento do perdedor.

RELAÇÕES HARMÔNICAS INTRAESPECÍFICAS

COLÔNIAS

Colônias são associações harmônicas entre indivíduos de uma mesma espécie, anatomicamente ligados, que em geral perderam a capacidade de viver isoladamente. A separação de um indivíduo da colônia determina a sua morte.

Quando as colônias são constituídas por organismos que apresentam a mesma forma, não ocorre divisão de trabalho. Todos os indivíduos são iguais e executam todas as funções vitais. Essas colônias são denominadas homomorfas ou isomorfas. Como exemplo, podem ser citadas as colônias de corais (celenterados), de crustáceos do gênero Balanus (as cracas), de certos protozoários, bactérias etc.

Quando as colônias são formadas por indivíduos com formas e funções distintas, ocorre uma divisão de trabalho. Essas colônias são denominadas heteromorfas. Um ótimo exemplo é o celenterado da espécie Phisalia caravela popularmente conhecida por “caravelas”. Elas formam colônias com indivíduos especializados na proteção e defesa (os dactilozoides), na reprodução (os gonozoides), na natação (os nectozoides), na flutuação (os pneumozoides), e na alimentação (os gastrozoides).

SOCIEDADES

As sociedades são associações harmônicas entre indivíduos da mesma espécie, organizados de um modo cooperativo e não ligados anatomicamente. Os indivíduos componentes de uma sociedade se mantêm unidos graças aos estímulos recíprocos.

Exemplos: alcateia, cardume, manada de búfalos, humanos, térmitas (cupins), formigas, abelhas, etc.

Quer aquele empurrãozinho a mais para seu sucesso?

Baixe agora o Ebook COMO ORGANIZAR OS SEUS ESTUDOS, gratuitamente!

Precisando de ajuda?

Entre em contato agora

👋E aí, ProAluno! Em que posso te ajudar?
Central de Vendas Central do Aluno